segunda-feira, 21 de maio de 2018

Opinião - Down By Contact

Ficha Técnica:
Autor: Santino Hassell
Série: The Barons, #2
Páginas: 220
Editor: InterMix
ASIN: B071NCSHHM

Sinopse:
Two rival football players begin a game with higher stakes than the Super Bowl in this steamy romance from the author of Illegal Contact.

Simeon Boudreaux, the New York Barons’ golden-armed quarterback, is blessed with irresistible New Orleans charm and a face to melt your mama’s heart. He’s universally adored by fans and the media. Coming out as gay in solidarity with his teammate hasn’t harmed his reputation in the least—except for some social media taunting from rival linebacker Adrián Bravo.

Though they were once teammates, Adrián views Simeon as a traitor and the number-one name on the New Jersey Predators’ shit list. When animosity between the two NFL players reaches a boiling point on the field, culminating in a dirty fist fight, they’re both benched for six games and sentenced to joint community service teaching sullen, Brooklyn teens how to play ball.

At first, they can barely stand to be in the same room, but running the camp forces them to shape up. With no choice but to work together, Simeon realizes Adrián is more than his alpha-jerk persona, and Adrián begins to question why he’s always had such strong feelings for the gorgeous QB…

Opinião:
Gostei bastante do livro anterior, e por isso mesmo sabia que assim que este saísse o iria ler. Basicamente li o livro num dia porque é difícil parar quando a história está interessante. Não quer por isso dizer que o livro é perfeito porque não é. Tem algumas falhas, mas irei falar da que acho mais berrante mais à frente.

Basicamente já conhecíamos Simeon do livro anterior. Ele é um brincalhão, mas ao mesmo tempo tem um coração de ouro. É impossível ficar indiferente ao seu carisma, e por isso mesmo continua a ser o menino querido, mesmo após se ter assumido como gay. A sua única dor de cabeça é Adrián, um ex-colega de antes de ter ido para aos Barons. Adrián era a única pessoa de quem Simeon era próximo, contudo isso acabou no momento em que Simeon deixou a equipa, levando a que Adrián se voltasse contra este e que ultimamente estivesse constantemente a fazer piadas homofóbicas.

Claro que a coisa ia dar raia e foram ambos obrigados a trabalhar com jovens enquanto expulsos dos primeiros jogos da temporada. Aos poucos Simeon começa a ver que Adrián é mais do que uma pessoa irritante, e quando quer é alguém sensato e agradável de se estar, enquanto que Adrián começa a perceber que se calhar existe mais além daquilo que ele está disposto a admitir. Existem alguns momentos de conexão, mas não são muito profundos e são algo velados. Gostava de ter visto mais cenas de partilha e comunhão e apercebi-me que não há assim tantas.

Contudo o que mais me irritou foi sem dúvida a maneira como Adrián acaba por se descobrir. Adrián e Simeon decidem entrar num jogo em que cada um tenta fazer o outro desconfortável. Na minha cabeça não faz sentido nenhum, que de modo a que o Adrián prove que não é homofóbico tenha relações sexuais com uma pessoa do mesmo sexo. Eu se me considero uma pessoa hetero não tenho que permitir determinadas atitudes de uma pessoa para comigo de modo a provar que não sou homofóbica. Qualquer pessoa pode fazer o que quiser, mas eu não sou obrigada a deixar que invadam o meu espaço pessoal e que contrariem as minhas preferências só para provar algo. Não sei se me faço entender, mas preferia que o autora tivesse abordado a situação por um outro ângulo.

De resto gostei bastante da história e dos personagens apresentados. O que teve uma maior evolução foi o Adrián porque acabou por empreender uma viagem de autodescoberta, mas com certeza que não será o único. Já se sabe quem serão os personagens dos próximos livros e tenho curiosidade para saber como é os ditos se irão redimir. Fico assim a aguardar ansiosamente o próximo livro.

domingo, 13 de maio de 2018

Opinião - Lady of Hay

Ficha Técnica:
Autor: Barbara Erskyne
Páginas: 760
Editor: Penguin
ISBN: 0722133596

Sinopse:
With a story as mesmerizing as it is chilling, Lady of Hay explores how Jo, a journalist investigating hypnotic regression, plunges into the life of Matilda, Lady of Hay-who lived eight hundred years earlier. As she learns of Matilda's unhappy marriage, her troubled love for Richard de Clare, and the brutal treatment she received from King John, it seems that Jo's past and present are hopelessly entwined. Centuries later, a story of secret passion and unspeakable treachery is about to begin again-and she has no choice but to brave both lives if she wants to shake the iron grip of history.

Opinião:
Se por um lado gosto do tipo de história que a autora conta, por outro lado quanto mais livros leio dela, menos vontade tenho de ler.

Não é que a história não seja interessante ou que esteja mal contada. Não é que os personagens não sejam cativantes ou dimensionais. É que a autora conta sempre a história da mesma maneira. A fórmula é sempre a mesma. Em todos os livros que já li. O objectivo é sempre contar a história de alguém que ficou com algo por fazer, ou que foi traída, ou algo do género. Chega a uma altura em que isso cansa. Gostava que a autora tivesse uma abordagem diferente para com as suas histórias. Não sei bem que abordagem, mas que fosse diferente.

Além disso a autora gosta de arrastar a narrativa. Isto não é propriamente um thriller, ou um policial ou algo do género, em que é suposto manter-mos o leitor em suspensa e irmos revelando os pormenores aos poucos. Eu percebo que a autora queira criar suspense, mas chega a uma altura em que é de mais. A informação é passada a conta gostas. São-nos dadas informações importantes para o desenrolar da narrativa, mas depois para-se no tempo durante capítulos e não acontece nada que desenvolva essas revelações. Eu tive que desistir e comecei a saltar as partes do enrolanço. Não gosto muito de fazer isso, mas entre andar ali a arrastar o livro quando tenho tanto para ler e despachar o que me aborrece prefiro a segunda opção. Podia também optar por simplesmente deixar o livro a meio, mas sou teimosa, além de que estava realmente curiosa para saber o final.

Em específico acerca deste livro, posso acrescentar que não consegui perceber a escolha da autora relativa ao interesse amoroso da protagonista. Tendo em conta que o presente está ligado com o passado, não consegui perceber porque raio é que a autora optou por juntar a Jo ao Rei John quando em nenhum momento eu senti que eles podiam ter tido uma história de amor e que mereciam uma segunda oportunidade. A sério, fiquei completamente parva com a escolha da autora. Mas pronto. Provavelmente irei mais um que tenho aqui por casa e depois acabou-se.

sexta-feira, 11 de maio de 2018

Opinião - This Time Around

Ficha Técnica:
Autor: Ellie Grace
Páginas: 197
Editor: ?
ASIN: B00DXXYZF2

Sinopse:
Nora Montgomery left home and heartbreak behind in South Carolina when she moved to New York City after her high school graduation. Now, four years later, she returns home and is forced to confront the past she left behind and the reckless boy who broke her heart. It’s not long before the pieces of her past begin to blur with the present and she realizes that the feelings she had for her first love never really went away. As old dreams resurface and new truths come to light, she begins to question the future she's always planned on.

Jake Harris has spent four years regretting the night he let her get away. When she finally reappears in his life, he is determined to win her back and prove how much he’s changed. She might never forgive him for that night, but if he tells her the truth about what really happened it will shatter the world she thought she knew. If he doesn’t, he might not get a second chance. He’s already lost her once and he won’t lose her again.

They come from two different worlds that are threatening to tear them apart…can they make it this time around?

Opinião:
E ao ler este livro tive uma enorme sensação de déjà vu. E pode-se dizer que foi uma sensação de déjà vu ingrata na medida em que o livro mais recente que li com esta premissa saiu depois deste. Ou seja, eu devia pensar que o livro que li anteriormente é igual a este e não que este é igual ao li antes, o que não acontece, e o que me faz sentir que não estou a ser justa com o livro.

De qualquer modo, este livro tem uma premissa muito semelhante ao Love & Ink do J.D. Hawkins. Rapaz e rapariga de círculos diferentes, em que o rapaz desaparece misteriosamente e passado uns tempos voltam a encontrar-se e puff! E quando digo puff é mesmo puff! Não há lá muita luta interior, não há lá muito fazer-se difícil. Está bem que na realidade o desgraçado do rapaz não tem propriamente culpa, mas ela não sabe! E por isso devia de ser mais durona e mostrar-lhe que não vai cair novamente na conversa dele tão facilmente. Mas nãooo. Basicamente foi estalar os dedos e está tudo bem e isso chateia-me por demasia.

Os personagens secundários também não são propriamente interessantes, com o mau da fita, que é o pai da protagonista, a ter o seu momento quando é explicado o porquê de ele ser assim. E se por um lado a autora diz que não nos diz o porquê para justificar as suas atitudes, a verdade é que também não vejo como é que uma pessoa se consegue destruir a si própria de maneira tão efectiva.

Não quero com isto dizer que tudo no livro seja mau! Na realidade a amiga da Nora e o seu futuro marido são bastante engraçados e trazem bastante humor ao livro. Ao mesmo tempo o livro cumpre aquilo a que se propõe, ser um romance fofinho em que se não tivermos expectativas e estivermos a ler só porque sim conseguimos ficar entretidos durante o tempo em que dura o livro.

domingo, 6 de maio de 2018

Opinião - One With You

Ficha Técnica:
Autor: Sylvia Day
Série: Crossfire, #5
Páginas: 482
Editor: St. Martin's Griffin
ASIN: B0183KJZE0

Sinopse:
Gideon Cross. Falling in love with him was the easiest thing I've ever done. It happened instantly. Completely. Irrevocably.

Marrying him was a dream come true. Staying married to him is the fight of my life. Love transforms. Ours is both a refuge from the storm and the most violent of tempests. Two damaged souls entwined as one.

We have bared our deepest, ugliest secrets to one another. Gideon is the mirror that reflects all my flaws ... and all the beauty I couldn't see. He has given me everything. Now, I must prove I can be the rock, the shelter for him that he is for me. Together, we could stand against those who work so viciously to come between us.

But our greatest battle may lie within the very vows that give us strength. Committing to love was only the beginning. Fighting for it will either set us free ... or break us apart.

Opinião:
E ao fim de não sei quanto tempo lá li a porcaria do livro para poder acabar a série. No geral achei que estava mais ao menos ao nível dos livros anteriores.

A parte interessante no livro para mim deixou de ser o sexo. Para ser sincera, quando chegava a essas partes muitas das vezes até optava por passar os olhos rapidamente pelas páginas. Aquilo que acabou por me puxar mais no livro acabou por ser a evolução dos personagens, a maneira como se  vão desafiando constantemente a ultrapassar as barreiras que construíram à sua volta. A maior evolução acaba por ser do Gideon, que tem que aprender a abrir-se para com a Eva. Aprender que ela sabe tomar conta dela e que ele não tem que carregar o peso do mundo sozinho. Eles são uma equipa e se não aprenderem a trabalhar como tal a sua relação nunca irá dar resultado.

Gostei ainda das reviravoltas que existiram durante a história, ao mesmo tempo que fiquei satisfeita por finalmente perceber as atitudes de determinados personagens e ver que estão a fazer um esforço para que as coisas mudem. Claro que existem várias antagonistas ao longo da narrativa e que é isso que faz a história avançar, mas ao fim e ao cabo estas antagonistas não são propriamente fortes, nem têm propriamente personalidade. Só servem mesmo para impulsionar a narrativa.

Talvez tivesse gostado mais do livro se o tivesse lido à algum tempo atrás. Neste momento considero que tem algumas falhas que talvez antigamente não me tivessem saltado à vista. Mas não deixa de ter sido uma série que serviu para entreter.

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Opinião - Out of Oz

Ficha Técnica:
Autor: Gregory Maguire
Série: The Wicked Years, #4
Páginas: 568
Editor: William Morrow Paperbacks
ISBN: 0060859733

Sinopse:
Oz is knotted with social unrest: The Emerald City is mounting an invasion of Munchkinland, Glinda is under house arrest, the Cowardly Lion is on the run from the law, and Dorothy is back. Amid chaos and war, Elphaba’s green granddaughter born at the end of "Son of a Witch", comes of age. Rain will take up her broom, and bring the series to a close.

Opinião:
E ao fim de uma série de anos lá acabei por ler o último livro desta tetralogia. Confesso que se não fosse o facto de o livro se enquadrar num dos desafios que tenho provavelmente continuaria enfiado numa caixa lá por casa a aguardar a sua vez. A leitura dos três primeiros livros foi feita com edições portuguesas e a experiência foi péssima. Sono era a palavra de ordem cada vez que pegava num dos livros. Mas como sou teimosa achei que os devia terminar.

Não sei se era a tradução que era má, não sei se o autor evoluiu bastante neste último livro, ou se por ventura fui eu que cresci enquanto leitora de há anos para cá. A verdade é que gostei bastante deste livro. Mais do que alguma vez poderia imaginar! E se por um lado isso me deixa bastante contente, por outro deixa-me com vontade de bater em mim própria por ter demorado tanto tempo a pegar nele.

Há muitos factos dos quais não me lembro, muitos pormenores que eventualmente me passaram ao lado. Sinto também que eventualmente deveria ler a série original em que se baseiam estes livros. Mas mesmo assim fui capaz de apreciar a narrativa.

Gostei bastante da escrita do autor, do que ele ainda tinha para contar. Gostei das relações entre os personagens e da maneira como interagem uns com os outros. Gostei especialmente da Rain com o seu feitio tão peculiar e com a sua maneira de ver as coisas tão diferente dos outros.

O final traz-nos algumas surpresas e deixa algumas questões em aberto. A maior parte dos personagens acaba por ter um final aberto, onde muita coisa ainda pode acontecer, deixando o leitor com um sabor agridoce na boca. Contudo não deixa de ser um final satisfatório. Ver a Rain a crescer e a desenvolver-se, a tornar-se uma espécie de herdeira da Elphaba, foi gratificante.

Foi um prazer conviver com os personagens, apesar de já só me lembrar dos mais icónicos. Existem alguns que são simplesmente hilariantes por causa de toda a sua má disposição!

Fica o desejo de um dia ter tempo para reler a série em inglês para tentar perceber se dessa forma sou capaz de a apreciar melhor.