sábado, 9 de dezembro de 2017

Opinião - After the Game

Ficha Técnica:
Autor: Abbi Glines
Série: The Field Party, #3
Páginas: 320
Editor: Simon & Schuster UK
ASIN: B01MYT850I

Sinopse:
Three years ago Riley Young fled from Lawton, Alabama. After accusing the oldest Lawton son, Rhett, of rape the town turned against her and she had no option but to leave. Now, she’s back but she’s not at Lawton High finishing up her senior year. She’s at home raising the two year old little girl that no one believed was Rhett Lawton’s.
Rhett is off at college living the life he was afraid he’d lose with Riley’s accusation and Riley agrees to move back to Lawton so her parents can be near her grandmother who is suffering from Alzheimer’s. The town hasn’t forgot their hate for her and she hasn’t forgot the way they turned on her.
When Brady Higgens finds Riley and her daughter Bryony stranded on the side of the road in a rain storm he pulls over and gives them ride. Not because he cares about Riley but because of the kid.
But after that simple car ride he begins to question everything he thought he knew. Could he believe Riley and risk losing everything?

Opinião:
Tanto Riley como Brady são personagens já nossos conhecidos dos livros anteriores. Se já conhecíamos minimamente o Brady, a verdade é que pouco ou nada se sabia da personalidade de Riley. É verdade que era sabido o que aconteceu e o que a levou a sair de Lawton, mas não sabíamos ainda que tipo de pessoa esta era.

Foi uma agradável surpresa perceber que esta rapariga de 17 anos passou por algo completamente traumático e que mesmo assim foi capaz de se superar e seguir em frente. Com 17 anos Rileu volta à terra de onde foi expulsa, com a filha nos braços e pronta para ajudar a mãe a tomar conta da avé que tem Alzheimer.

É aqui que entra Brady, o rapaz perfeito que faz tudo como um verdadeiro cavalheiro. Ao início as suas interacções com Riley são impessoais, mas aos poucos este começa a ver que tipo de pessoa ela realmente é, através da maneira como lida com a filha, e começa a perceber que talvez tenha cometido um erro na altura em que Riley mais precisava de ajuda.

Tanto Brady como Riley crescem ao longo do livro. Riley aprende a confiar novamente e a socializar, enquanto que Brady finalmente percebe o que é ver-nos algo acontecer que nos transforma e aprende a lidar com a dor que daí advém. Quanto a esta situação tenho desde já a dizer que achei desnecessário. Aquilo que senti foi que a autora fez com que as coisas caíssem de para-quedas no meio da narrativa só para que finalmente acontecesse algo ao Brady e ele percebesse o que os amigos passaram. Sim, porque um dos pensamentos recorrentes dele era o como é que algum dia ia conseguir ajudar alguém se nunca nada lhe tinha acontecido de modo a que perceba a dor dos outros? Enfim...

De qualquer modo foi um livro bastante satisfatório. Gostei de rever os personagens dos livros anteriores, principalmente as personagens femininas. Das poucas vezes que apareceram tiveram sempre algo importante a dizer e a provar através das suas atitudes o que nos faz sentir nostalgia.

Fico a aguardar por notícias, perceber se vamos ficar a conhecer a história de mais casais de Lawton.

domingo, 26 de novembro de 2017

Opinião - Sangue e Ouro

Ficha Técnica:
Autor: Anne Rice
Título Original: Blood and Gold
Série: The Vampire Chronicles #8
Páginas: 438
Editor:Europa-América
ISBN: 9721051004
Tradutor: ?

Sinopse:
As Crónicas do Vampiro prosseguem agora com o regresso de Marius.
O belo e louro filho da Roma Imperial, antigo mentor do vampiro Lestat, revela-nos, com uma voz intensa mas intimista, os segredos da sua existência de dois mil anos. Cercada de luxo mas também de tragédia, a vida de Marius vai conhecer os cenários da queda do Império Romano, da nova civilização em Constatinopla e dos ambientes mágicos de Florença e Veneza. É nessa Itália renascentista que ele vai conhecer o misterioso Armand… E uma outra personagem que o vai enfeitiçar: o genial Botticelli…
Trágico, sensual e arrepiante, como sempre, Sangue e Ouro é Anne Rice no seu melhor.

Opinião:
Não há muito a dizer acerca deste livro. Essencialmente é-nos contada a história de Marius e parte dessa história já era nossa conhecida devido ao livro do Armand. Se bem que aqui ficamos a conhecer a história do ponto de vista de Marius, a realidade é que as ilações que o Armand fez acerca das acções que moviam o Marius são bastante aproximadas dos seus reais intentos, por isso acaba por ser um pouco o repetir de uma história que já conhecemos.

Claro que existem novas componentes que ficamos a conhecer um pouco melhor, como a sua relação com Pandora, e o modo como levou a sua vida solitária durante longos anos, apenas acompanhado pelo Pai e pela Mãe. Este é mais um livro de reflexão, e de recordação. Marius pretende não só contar a sua história como também revivê-la e de certo modo estudá-la tendo em conta os desenvolvimentos recentes.

Esta história é contada a um personagem que parece ter sido criado apenas com o propósito de ouvir Mário e de a seguir se sacrificar por ele ao mesmo tempo que consegue atingir o seu objectivo. Assim sendo não faço ideia se iremos ver algo mais dele, o que significa que sinto que este livro não trouxe nada novo que possa fazer propriamente a narrativa avançar. Vou assumir que este livro funciona um pouco como uma pausa na história, onde a autora apenas nos queria dar a conhecer um pouco mais das suas personagens.

Mais uma vez, mais que os acontecimentos, são os personagens que pretendem a atenção do leitor. Como já dito nos livros anteriores, todos eles são bastante complexos e todos buscam algo. Algo esse que é uma perfeita comunhão com outro ser. Contudo por alguma motivo este objectivo parece acabar sempre por ser mais do que os personagens conseguem suportar porque acabam sempre por meter os pés pelas mãos e fazer alguma coisa que acabe por os impedir de atingir o seu objectivo.

Fico agora a aguardar o próximo livro.

domingo, 19 de novembro de 2017

Opinião - Merrick

Ficha Técnica:
Autor: Anne Rice
Título Original: Merrick
Série: The Vampire Chronicles #7
Páginas: 348
Editor: Europa-América
ISBN: 9789721049680
Tradutor: ?

Sinopse:
Neste romance hipnótico, a autora das Crónicas do Vampiro e da saga das Bruxas Mayfair demonstra mais uma vez o seu dom para a criação do mito e da magia.

Desta vez ela vai juntar vampiros e bruxaria para criar um ambiente verdadeiramente arrepiante.

No centro da história encontra-se Merrick, a «Bruxa de Endor», a bela e misteriosa feiticeira, descendente de uma sociedade mestiça de Nova Orleães familiarizada com as cerimónias de voodoo. Entre os seus ancestrais encontram-se também as grandes Bruxas Mayfair — de quem ela nada conhece senão o poder e a magia que herdou.

E a ela junta-se David Talbot — vampiro, herói, aventureiro e contador de histórias, companheiro dos já conhecidos Vampiros Lestat e Louis de Point du Lac. É ele quem vai narrar a lenda de Merrick, uma lenda que nos leva da Nova Orleães do passado e do presente às selvas da Guatemala, das ruínas Maias a civilizações ainda mais antigas e inexploradas.

Esta é, assim, uma história cheia de tensão, onde dois seculares poderes ocultos se juntam numa dança de sedução, morte e renascimento.

Opinião:
Antes de prosseguir com a minha opinião tenho que confessar que os últimos livros que tenho lido da autora têm sido lidos em inglês apesar de ter as versões portuguesas. O que tenho verificado é que tem sido muito mais fácil ler na língua original que na língua traduzida. Enquanto que os primeiros livros li em português e me custou imenso a avançar na história, os últimos têm sido lidos em inglês e têm sido lidos com uma fluidez imensa. Talvez um dia tenha paciência para ler um dos livros metade em português e metade em inglês para perceber se o problema é realmente da tradução.

Quanto a este livro, é-nos introduzida uma nova personagem, Merrick. A Merrick é uma bruxa, uma bruxa muito poderosa que trabalha para a Talamasca e que foi estudante directa do David. É devido ao facto de o Louis pretender entrar em contacto com Claudia que Merrick nos é apresentada. E é através de David que ficamos a saber da sua história. Uma história complexa, cheia de personagens interessantes e com grande poder.

Mas uma vez Rice escreve um livro que intriga o leitor desde o início até ao fim. Não porque existam aventuras incontáveis, ou uma constância de acção, mas sim porque os personagens apresentados são extremamente cativantes nas suas dualidades. Ao mesmo tempo a autora apresenta-nos algo novo, as bruxas Mayfair, sendo que existe uma vertente "branca" e uma vertente "negra" e estas designações têm a ver com a cor da pele.  Aqui o que me deixou aborrecida foi o facto de a autora dar a entender que as Mayfair "brancas" são más, mas não o explicar. Se isso não acontecer nos próximos livros vou ficar bastante chateada porque não me apetece ser obrigada a ir ler a série dedicada às mesmas.

No final acabamos por perceber que existe muito mais acerca da história da Merrick do que aquilo que o David sabe e nos conta. As suas atitudes vão influenciar os próximos movimentos dos vampiros, visto que estes são obrigados a sair de Nova Orleães quando são ameaçados pela Talamasca. Ao mesmo tempo existe uma alteração na condição do Louis que pode alterar a relação que este tem com os outros personagens. Estou para ver se as coisas se vão manter ou se o bando se vai acabar por dispersar, principalmente agora que Lestat decidiu voltar à vida. Sim, porque no livro anterior e na maior parte deste o Lestat estava simplesmente num estado moribundo. Duvido que venhamos a saber exactamente o que se passou na sua cabeça depois de ter voltado da viagem com Memnock, mas quem sabe?

Assim sendo só me resta aguardar a oportunidade de ler o próximo livro para saber o que vai acontecer agora com os nossos personagens.

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Opinião - Once Upon a Tower e With this Kiss

Ficha Técnica:
Autor: Eloisa James
Série: Fairy Tales, #5 e #5.5
Páginas: 416 e 202
Editor:Avon
ASIN: B009NFMBH8 e B00BW3AYB4

Sinopse:
Once Upon a Tower:
Once upon a time…
A duke fell in love


Gowan Stoughton of Craigievar, Duke of Kinross, values order and self-control above all else. So when he meets a lady as serene as she is beautiful, he promptly asks for her hand in marriage.

With a lady

Edie—whose passionate temperament is the opposite of serene—had such a high fever at her own debut ball that she didn’t notice anyone, not even the notoriously elusive Duke of Kinross. When her father accepts his offer… she panics.

And when their marriage night isn’t all it could be, she pretends.

In a tower

But Edie’s inability to hide her feelings makes pretending impossible, and when their marriage implodes, she retreats to a tower—locking Gowan out.

Now Gowan faces his greatest challenge. Neither commands nor reason work with his spirited young bride. How can he convince her to give him the keys to the tower…

When she already has the keys to his heart?


With This Kiss:
With This Kiss: Part One
Lady Grace Ryburn, the daughter of the Duke and Duchess of Ashbrook, has fallen wildly in love with Colin Barry, a dashing young lieutenant serving his country in the Royal Navy. When he returns home to exuberant celebrations, will he even notice the quiet wallflower he grew up with … or will he fall for Grace's sparkling, gorgeous sister?

With This Kiss: Part Two
Lady Grace Ryburn has accepted another man's proposal after the love of her life, Lieutenant Colin Barry, asked for her own sister's hand in marriage.

But when Colin returns home from the wars, injured in body and spirit, will she be able to turn her back and marry another? Or will she throw away every rule her mother taught her and try to seduce a man who has shown no interest in her kisses?

With This Kiss: Part Three
Lieutenant Colin Barry returns from the wars knowing that he has no right to steal Grace from the arms of her fiancé. Yet the same warrior's spirit that won so many battles at sea is prompting him to throw propriety to the winds, imitate his pirate father, and simply take what he most desires!

Opinião:
Em Once Upon a Tower ficamos a conhecer Edie e Gowan. Ambos com personalidades bastante fortes e ambos pessoas que sabem exactamente aquilo que querem. E ambos com um vício. Ela o de tocar música e ele o de trabalhar e ter tudo programada. Como devem calcular o vício de um deles não é propriamente muito saudável. Enquanto que Edie precisa da música para se sentir completa e a utiliza também para dar prazer aos outros, Gowan utiliza o trabalho para se manter afastado das pessoas e para pouco ter que se relacionar com elas. Claro que isto acaba por dar raia. É impossível manter um casamento sem que haja tempo para as duas pessoas estarem juntas e se conhecerem melhor enquanto casal.

Não deixa de ser engraçado o facto de que ao início o Gowan pensar que a Edie era uma rapariga calada e recatada, quando ela é tudo menos isso. A verdade é que ela tinha uma febre imensa e mal se conseguia aguentar. Gostei também bastante da madrasta de Edie e do seu pai. A relação de ambos é hilariante com tantos mal entendidos.

Em With This Kiss ficamos a conhecer a história de Grace e Colin. Estes são filhos de personagens cujas histórias foram contadas em livros anteriores. Grace é a filha perfeita, bem comportada, inteligente, uma pessoa que pensa primeiro na felicidade dos outros e só depois em si mesma. Desde pequenina que é apaixonada por Colin e que o conhece melhor que ninguém. A única pessoa que não o vê é Colin. Este ainda leva a maior parte da história a aperceber-se dos seus sentimentos. 

Existe também o facto de que as sinopses parecem indicar que é o Colin que vai seduzir a Grace, quando na realidade é mais o contrário que acontece. Pela primeira vez na vida ela decidi lutar por algo e fazer algumas loucuras, o que não haja dúvida transforma-a completamente. 

No geral ambas as histórias foram satisfatórias. Dentro do mesmo registo a que já estava habituada pela autora. Logo nesse aspecto não há nada a acrescentar. Fiquei satisfeita por ter um vislumbre do futuro de alguns personagens e da sua prole. É sempre divertido ver como é q são os filhos de personagens que por norma têm personalidades tão fortes. 

sábado, 4 de novembro de 2017

Opinião - O Vampiro Armand

Ficha Técnica:
Autor: Anne Rice
Título Original: The Vampire Armand
Série: The Vampire Chronicles, #6
Páginas: 440
Editor: Europa-América
ISBN: 9789721048508
Tradutor: ?

Sinopse:
Em mais um volume das «Crónicas do Vampiro», Anne Rice invoca mundos deslumbrantes para nos trazer a história de Armand, eternamente jovem, com o rosto de um anjo de Botticelli. Armand surgiu pela primeira vez há trinta anos, em toda a sua glória negra, no já clássico Entrevista com o Vampiro, primeiro volume de «Crónicas do Vampiro», romance que tornou a autora famosa em todo o mundo como magnífica contadora de histórias e criadora de reinos mágicos. Acompanhamos assim, nesta obra, Armand através dos séculos até à Kiev Rus da sua infância — uma cidade em ruínas sob o domínio mongol — e à antiga Constantinopla, onde os assaltantes tártaros o vendem como escravo. Num magnífico palazzo da Veneza do Renascimento, encontramo-lo em escravidão emocional e intelectual com o vampiro Marius, que se disfarça entre os humanos como pintor misterioso e recluso e o qual confere a Armand o dom do sangue vampírico. À medida que o enredo se aproxima do seu ponto culminante, atravessando cenários de luxo, elegância, emboscadas, incêndios e adoração ao demónio, passando pela Paris do século XIX e pela Nova Orleães da actualidade, veremos este herói romântico, eternamente vulnerável, ser forçado a escolher entre a imortalidade na escuridão ou a salvação da sua alma.

Opinião:
Não há muito mais a acrescentar sobre a escrita da autora e os temas que foca para além daquilo que já foi dito nos livros anteriores.

Basicamente a autora continua a focar-se na condição humana, no certo e errado, na beleza das coisas mais simples e naquilo que é considerado o amor na sua forma mais pura. Desta vez ficamos a conhecer o ponto de vista de Armand acerca destes assuntos, e como ele lida com tudo aquilo que lhe vai acontecendo ao longo dos séculos. Ao contrário dos outros personagens, Armand tem uma relação muito estreita com a religião devido à educação que teve enquanto criança. Essa relação é explorada e serve para justificar as suas atitudes no final do livro anterior.

Houve alguns aspectos que me fizeram alguma confusão. Nomeadamente a componente de relação sexual e afins muito mais explícita e libertina do que nos livros anteriores. A relação física entre Marius e Armand antes de o último se tornar num vampiro deixou-me algo desconfortável pela sua carnalidade ausente nos livros anteriores. Outra situação que não me agradou por aí além foi o facto de existir um acontecimento no livro para o qual não recebemos uma explicação. O próprio Armand diz que não sabe como tal coisa foi possível. Assim sendo questiono-me se a própria autora não soube muito bem como descalçar a bota, ou se fui eu que não consegui perceber muito bem o que estava subentendido.

Assim sendo este foi mais um livro do qual gostei bastante. Foi uma leitura relativamente rápida comparada aos primeiros que li da autora. Estou curiosa para ver o que mais virá.