sábado, 21 de abril de 2018

Mini-Opinião - Stars Over Castle Hill

Ficha Técnica:
Autor: Samantha Young
Série: On Dublin Street, #6.6
Páginas: 139
Editor: ?
ASIN: B06XXQV5D7

Sinopse:
Joss and Braden Carmichael are blissfully married living in their townhouse on Dublin Street with their three beautiful children. It's a life Joss never expected to have, and one she's grateful for every day. But... what if she never met Braden and Ellie Carmichael on that fateful day when she was only twenty-two years old?

When Joss is asked to write a story about how her life might have turned out if a pivotal moment in it never happened, she thinks of the day she met both Braden and Ellie Carmichael. If she had never met them where might she have ended up? Joss believes no matter where life may have taken her it would have inevitably led her to Braden. But what if she was thirty instead of twenty-two when they met? How would she have felt about risking her heart then?
And even if she was older and wiser and ready to fall madly in love, what if too much had happened to Braden to make him the man that would risk his heart to save hers?
Will time be their enemy... or is it possible that two souls are meant for one another in any reality?

Opinião:
Eu adoro esta série. Desde o início que senti afinidade com os personagens criados e essa afinidade só foi crescendo ao longo dos inúmeros livros. Fiquei extremamente contente quando vi que esta novela tinha saído, afinal de contas não é todos os dias que temos oportunidade de revisitar uma séria que adoramos.

Esta é uma novela que mostra o que poderia ter acontecido no caso de o Braden e a Joss não se terem conhecido quando conheceram. Para a Joss o resultado seria óbvio. Os seus caminhos acabariam por se cruzar mais tarde, e ambos iriam ter desafios diferentes para enfrentar, contudo no final iriam conseguir ficar juntos porque foi para isso que ambos nasceram.

Gostei especialmente da reacção do Braden no final do livro, e não posso deixar de comentar o quão adoráveis são os filhos de ambos. Têm personalidades bastante parecidas com os pais o que quer dizer que são todos hilariantes!

Fica o desejo de continuar a ter a possibilidade de conhecer um pouco mais das suas histórias.

segunda-feira, 16 de abril de 2018

Opinião - Lola and the Boy Next Door e Isla and the Happily Ever After

Ficha Técnica:
Autor: Stephanie Perkins
Série: Anna and the French Kiss, #2 e #3
Páginas: 386 e 352
Editor: Dutton Books
ASIN: B004RKXHZY e B009VMBPX4

Sinopse:
Lola and the Boy Next Door
Lola Nolan is a budding costume designer, and for her, the more outrageous, sparkly, and fun the outfit, the better. And everything is pretty perfect in her life (right down to her hot rocker boyfriend) until the Bell twins, Calliope and Cricket, return to the neighborhood. When Cricket, a gifted inventor, steps out from his twin sister's shadow and back into Lola's life, she must finally reconcile a lifetime of feelings for the boy next door.


Isla and the Happily Ever After
From the glittering streets of Manhattan to the moonlit rooftops of Paris, falling in love is easy for hopeless dreamer Isla and introspective artist Josh. But as they begin their senior year in France, Isla and Josh are quickly forced to confront the heartbreaking reality that happily-ever-afters aren’t always forever.

Their romantic journey is skillfully intertwined with those of beloved couples Anna and Étienne and Lola and Cricket, whose paths are destined to collide in a sweeping finale certain to please fans old and new.

Opinião:
Já foi à alguns anos que li Anna and the French Kiss. Tenho a ideia que os restantes livros nunca chegaram a ser publicados em português e por isso a série foi ficando para trás. Com o reaparecimento do desafio Finishing the Series, achei que esta seria uma excelente oportunidade e assim sendo aqui estou!

No geral ambos os livros são bastante agradáveis. Todos os personagens estão relativamente bem construídos, as histórias são interessantes devido aos obstáculos interiores que cada personagem tem que ultrapassar e existem momentos fofinhos de derreter o coração de qualquer pessoa.

Não deixaram de existir pequenas coisas nos livros que me desagradaram, mais no da Lola que no da Isla, mas não deixei que isso me arruinasse os livros. Essencialmente o que me irritou sobremaneira no livro da Lola foi a sua incapacidade em decidir o que quer da vida. Passou mais de metade do tempo a brincar com os sentimentos do namorada, bem como com os sentimentos do Cricket. E eu detesto este tipo de situações. É praticamente um triângulo amoroso e neste momento não tenho muita paciência para esse tipo de coisas. No caso da Isla, aquilo que mais me chateou foi a sua atitude quando recebeu a BD criada pelo Josh. Achei que não havia propriamente um motivo para ela se comportar como comportou tendo em conta aquilo que nos foi dado conhecer da história dela.

Enquanto que o meu problema com o livro da Isla foi mais pontual, o problema com o livro da Lola foi ao longo de quase todo o livro. De certa forma consegui fazer com que isso não me afectasse em demasia, mas não quer dizer que não me tenha estragado um pouco os livros e que poderia ter gostado muito mais dos mesmos.

Gostei bastante de rever a Anna e o Étienne, não só como casal, mas também pelo modo como a sua história se entrelaça com a dos personagens que aparecem nos livros seguintes e como eles acabam por funcionar como o ponto de ligação entre toda a gente.

Esqueci-me de referir que achei interessante o facto de a autora ter uma personagem, a Lola, que praticamente se veste de uma maneira que outras pessoas iriam achar aberrante. É quase como se a Lola todos os dias andasse disfarçada, tendo em conta a maneira como se veste e o facto de usar perucas. Existe uma parte em que o Crocket diz à Lola que ela não se vestindo assim é que se se tivesse fechado, porque aquilo que ela veste reflecte o seu estado de espírito e por isso nessas alturas ela não está a tentar esconder-se, mas sim a mostrar quem realmente é. Isso deixou-me a pensar e obrigou-me a adoptar um ponto de vista completamente diferente daquele que seria o primeiro que iria ter.

Termino esta opinião dizendo que considero o facto de ter demorado tanto tempo a terminar a série ridículo. Assim que peguei nela lia num instante. Afinal de contas as histórias são fofinhas e cativantes o que leva a uma leitura rápida e a um sentimento de satisfação no final.

quinta-feira, 12 de abril de 2018

Opinião - Big Man

Ficha Técnica:
Autor: Penny Wylder
Páginas: 193
Editor: ?
ASIN: B077Y7K6YW

Sinopse:
He thinks he's too big for me. I like a challenge.

On my 25th birthday I received a letter. My mother had left me a piece of land in her will-- the farm I grew up on as a child. Her last request was that I restore it... and how could I say no?
So I returned to my little town full of big memories. Nothing has changed here.
Except for Grant Werther.
When we were kids, I barely saw him. Now I can't miss him. The guy is HUGE; all muscle and beard, like some hardened mountain man. He's intimidating... and definitely sexy, in an alpha-male-cowboy kind of way.
Turns out his dad owns part of my farm and he's got the papers to prove it. That means I can't do anything without Grant's approval. On top of that, this jerk says I'm too “city girl” to be here.
And the way he openly stares at my ass in my cut-off jeans makes it clear what he thinks I'd be good at.
He's the biggest man I've ever seen and I admit, I'm curious what he's hiding in his boxers.
I didn't know he'd catch me peeking.
Now he won't stop teasing me. He keeps saying I could never handle him, that he'd break me in two. I know I don't have to prove him wrong...
But I want to.

Opinião:
Esta opinião irá ser bastante curta pois praticamente só tenho coisas más a dizer acerca do livro e não pretendo andar a perder tempo com aquilo que não merece.

Basicamente este livro foi mau em todos os sentidos. A história é bastante básica e simples. Os personagens são bastante indiferentes, não têm muitas camadas e não têm propriamente interacções que fascinem o leitor e que demonstre a conexão que há entre ambos.

A conversa do livro é toda a mesma, a protagonista a dizer o quão grande ele é em todos os aspectos. A sério, cheguei ao fim de meia dúzia de páginas e já só pensava que sim, já tinha percebido a ideia. Com tanta coisa que a autora podia dizer, com tanta cena erótica que podia criar o discurso era sempre o mesmo. Tenho ideia que até li várias vezes a mesma frase ao longo do texto. Ou seja, não só o livro é repetitivo como até as cenas de sexo são um bocado decepcionantes.

Definitivamente um livro que para mi não teve nada de bom.

sábado, 7 de abril de 2018

Opinião - The Guilty e End Game

Ficha Técnica:
Autor: David Baldacci
Série: Will Robie, #4 e #5
Páginas: 432 e 416
Editor: Grand Central Publishing
ASIN: B00U6DNY5O e B06WGTZXG7

Sinopse:
The Guilty: Will Robie is the government's most professional, disciplined, and lethal assassin. He infiltrates the most hostile countries in the world, defeats our enemies' advanced security measures, and eliminates threats before they ever reach our shores.
But now, his skills have left him. Sent overseas on a critical assignment, he fails, unable to pull the trigger. Absent his talents, Robie is a man without a mission, and without a purpose.
To recover what he has lost, Robie must confront what he has tried to forget for over twenty years: his own past.
THE GUILTY
Will Robie escaped his small Gulf Coast hometown of Cantrell, Mississippi, after high school, severing all personal ties, and never looked back. Not once. Not until the unimaginable occurs. His father, Dan Robie, has been arrested and charged with murder.
Father and son haven't spoken or seen each other since the day Robie left town. In that time, Dan Robie--a local attorney and pillar of the community--has been elected town judge. Despite this, most of Cantrell is aligned against Dan. His guilt is assumed.
To make matters worse, Dan has refused to do anything to defend himself. When Robie tries to help, his father responds only with anger and defiance. Could Dan really be guilty?
With the equally formidable Jessica Reel at his side, Robie ignores his father's wishes and begins his own desperate investigation into the case. But Robie is now a stranger to his hometown, an outsider, a man who has forsaken his past and his family. His attempts to save his father are met with distrust and skepticism . . . and violence.
Unlike the missions Robie undertook in the service of his country, where his target was clearly defined, digging into his father's case only reveals more questions. Robie is drawn into the hidden underside of Cantrell, where he must face the unexpected and possibly deadly consequences of the long-ago choices made by father and son. And this time, there may be no escape for either of them.


End Game: Will Robie and Jessica Reel are two of the most lethal people alive. They're the ones the government calls in when the utmost secrecy is required to take out those who plot violence and mass destruction against the United States. And through every mission, one man has always had their backs: their handler, code-named Blue Man.

But now, Blue Man is missing.

Last seen in rural Colorado, Blue Man had taken a rare vacation to go fly fishing in his hometown when he disappeared off the grid. With no communications since, the team can't help but fear the worst.

Sent to investigate, Robie and Reel arrive in the small town of Grand to discover that it has its own share of problems. A stagnant local economy and a woefully understaffed police force have made this small community a magnet for crime, drugs, and a growing number of militant fringe groups.

But lying in wait in Grand is an even more insidious and sweeping threat, one that may shake the very foundations of America. And when Robie and Reel find themselves up against an adversary with superior firepower and a home-court advantage, they'll be lucky if they make it out alive, with or without Blue Man...

Opinião:
Esta é outra série que já andava para acabar à algum tempo. Não me devo alongar muito na minha opinião pois este tipo de história não é propriamente a minha praia e não quero estar a dizer algo que não deva.

Daquilo que me lembro dos livros anteriores achei que estes estavam mais ou menos à mesma altura. Tanto The Guilty como The End Game, são um pouco diferentes dos livros anteriores na medida em que se parecem quase com um livro de detectives. Tanto o Will como a Jessica de deslocam para um determinado local para tentar perceber o que se está a passar e tentar salvar a vida do pai do Will e o Blue Men. Tanto num livro como no outro o antagonista foi alguém completamente inesperado.

De um modo geral gostei bastante da maneira como a história se foi desenvolvendo nos dois livros. Por um lado gostei de ficar a saber mais sobre a famílio do Will, por outro gostei de ficar a saber mais acerca do Blue Men. É um personagem que sempre esteve presente, mas sobre o qual nunca se soube grande coisa. Fiquei triste por não ter visto um pouco da Julie, sendo estes os últimos dois livros, gostava que tivessem acabado sem que esta tivesse sido esquecida. Ao fim e ao cabo ela teve um grande impacto na maneira como o Will evoluiu.

Houve quem não tenha gostado muito destes dois últimos livros, a mim não me fez confusão. Ao longo do tempo temos vindo a ver um Will que se preocupa com o seu futuro, que quer mais do que aquilo que tem. Que quer um futuro diferente, onde existam sentimentos. Que não quer mais estar sozinho. Assim sendo percebo o seu desejo por contacto, por o autor ter optado por ter tornado o último livro algo mais pessoal para os personagens, e que tenha tentado que florescesse uma relação entre o Will e a Jessica.

Essencialmente houve apenas um aspecto que não me agradou e prende-se com o livro The Guilty. Foi a maneira que o autor arranjou para ficarmos a saber mais acerca da história do Will. Soou-me a desculpa a maneira como tudo aconteceu. A ligação que fizeram sobre o falhanço dele e os problemas que ele tem com o pai soaram-me a oco e a desculpa e isso deixou-me algo frustrada porque acho que não havia necessidade.

Tirando isso gostei bastante da série. Tenho pena que tenha chegado ao fim pois gostaria de saber mais acerca dos personagens e até onde são capazes de ir. Pode ser que o autor nos presenteie de futuro com um conto acerca dos mesmos.

segunda-feira, 2 de abril de 2018

Opinião - Série More Than

Ficha Técnica:
Autor: Jay McLean
Série: More Than, #1 - #5
Páginas: 311, 344, 261, 380 e 454
Editor: ?
ASIN: B00DVEUGZ6, B00GQZ653E, B00I32J1MU, B00LPUXAGK e B017O6EWFQ

Sinopse:
More Than This:
When Mikayla imagined her prom night, she envisioned a fairy-tale evening full of romance. So when betrayal and tragedy come in quick succession, Mikayla is completely destroyed. Suddenly, everything she loved and everyone she relied on are tragically, irrevocably gone.

Jake, a handsome boy she just met, happens to witness her loss. With no one to turn to, Mikayla is forced to depend on this near stranger and his family, and he in turn is determined to take care of her. But Mikayla—thrust into adulthood with no one to guide her—is desperate to contain her grief and hide what she considers to be her weakness. Mikayla and Jake both want more, but despite their growing closeness and intense chemistry, she tries to keep her distance and protect her heart. As he does everything in his power to win her trust, Mikayla must choose between remaining alone and safe or letting love in.


More Than her:
"For every action there is an equal or opposite reaction."

For every choice you make there are rewards,
or there are consequences.
It was my choice to walk away the first time.
And my choice to chase her the second.
But sometimes you don't get a choice,
and all you get are the consequences.

"Being deeply loved by someone gives you strength,
while loving someone deeply gives you courage.”

Unless that someone is Logan Matthews.
Because loving him didn't give me
the strength to walk away.
It didn't give me
the courage to fight for him.
And when it was over,
all it gave me was a broken heart.


More Than Him:
"Our deepest fear is not that we are inadequate. Our deepest fear is that we are powerful beyond measure. It is our light, not our darkness, that most frightens us." - Marianne Williamson

We live in a world of darkness and shadows,
where monsters hide and aim to ruin.
And they did.
They ruined us and turned our dreams into nightmares.
But now we're back.
And we're fighting.
Not just for us, or for each other, but for our light.


More Than Forever:
-LUCY-
There is a love so fierce it cannot be measured.
A heart so strong it will never slow.
There is a promise so sure it can never lie.
He promised me that love forever.
Even when it wasn't enough.

-CAMERON-
Forever. Everlasting. Eternal.
There is no measure of time.
No sounds of the ticking of a clock.
Just the rising and falling of the sun.
And our own sense of forever.

But our forever isn't always.

More Than Enough:
There’s no emotion greater than fear.
No ache greater than grief.
No sound greater than silence.
***
I’m grateful he showed up on my doorstep,
pissed off and angry at the world.
If he hadn’t, I wouldn’t be here.
And I don’t just mean here on this journey with him.
I mean here, in this world.
***
I wonder what events in all our lives—hers included—are The Turning Points? The points where we all determine that the fear of our pasts and the uncertainty of our futures are greater than our need for happiness.
Here.
Now.
While time and everything around us stands unmoving… who’s to say we can’t have it all?
***
We wanted it all.
We wanted it with each other.
We thrived on the chaos we created.
And ignored the Mayhem that ensued.
Because falling in love was easy.
But sometimes, love isn’t enough.

Opinião:
Depois de ter começado pelo livro errado, lá peguei então nas coisas pela ordem certa e li estes livros de seguida. Não me vou alongar sobre cada um individualmente se não não saiu daqui.

Vou começar por dizer que no geral gostei bastante da série. Os personagens são diversificados, cada um com os seus problemas e pesadelos, cada um com a sua maneira de enfrentar aquilo que os consome. Não só a autora cria personagens principais interessantes, como os personagens secundários também cativam. Os pais dos vários personagens são todos 5 estrelas, apesar de terem maneiras muito diferentes de estar e de lidar com a vida.

A única coisa que me aborreceu um pouco apesar de certa altura é a necessidade de tanta tragédia. Isso e o facto de a autora repetir um pouco a fórmula como o livro se desenvolve. Primeiro um personagem ajuda o outro a resolver os seus problemas, depois esse personagem vai-se abaixo e é o outro que agora vai fazer o papel de salvador. O único livro onde isso definitivamente não acontece é no primeiro porque ao Jake nunca lhe aconteceu nada de mal.

Quando eu digo que tudo acontece a esta gente é porque é de tudo! No primeiro livro temos a morte dos pais da protagonista, no segundo e terceiro temos um personagem que era espancado pelo pai e pela mãe e uma personagem feminina que tem traumas com tempestades e sangue devido a uma experiência traumática quando era mais nova. No quarto livro não existe propriamente uma experiência tramática no passado, mas existe uma no presente. E no quinto livro temos uma personagem que viu o namorado morrer e um personagem que vê o seu amigo fazer algo não muito simpático.

A sério, não podiam chatear-se mais vezes por coisas "parvas" como acontece com a Lucy e o Cameron? É que chega a uma altura em que parece que a única maneira de seres feliz e conseguires encontrar a tua alma gémea é se te acontecer alguma desgraça que faça com que exista a necessidade de alguém para te ajudar a ultrapassá-la! Esta minha ligeira irritação reflecte-se na minha apreciação dos livros. A verdade é que os com menos drama foram aqueles que eu mais gostei.

Quanto à história do Dylan, achei que não era propriamente importante. Até porque a partir de uma certa altura ele deixou de estar tão presente na vida dos outros personagens, ficando algo esquecido. Ao mesmo tempo quando li os livros Lucas e Logan tanto o Logan como o Jake aparecem, mas não existe nenhuma menção ao Dylan, o que dá a sensação que ele não é importante de todo. Além disso existem alguns pormenores do livro que parece não terem sido bem pensados, ou que parece terem sido apressados.

Acho que o livro mais completo da série é sem dúvida o do Cameron e da Lucy. A história deles é uma história de crescimento e partilha. É uma história que começa quando ainda mal sabiam o que era amor e que vai evoluindo ao longo do tempo. É uma história de aceitação quando as coisas se tornam complicadas, de não guardar rancor pelo que a vida está a fazer com eles. É um acreditar que as coisas vão melhorar. A autora é bastante capaz em mostrar como uma relação se pode deteriorar sem que ocorra propriamente uma catástrofe. Em que a falta de tempo e a falta de comunicação são os principais culpados para que as coisas não corram bem. Quando finalmente os personagens se apercebem disso já é tarde de mais.

Em jeito de resumo posso dizer que esta é uma série que recomendo. Histórias interessantes, com personagens cativantes e que são bem desenvolvidos. Além disso é hilariante ver a Lucy bêbada visto que pragueja como um marinheiro deixando toda a gente de queixo caído. Acho que só por isso já valia a pena ler a série, mas ela por si só também merece.