sexta-feira, 15 de junho de 2018

Opinião - Ryan's Bed

Ficha Técnica:
Autor: Tijan
Páginas: 274
Editor: ?
ASIN: B0796NJZCD

Sinopse:
I crawled into Ryan Jensen’s bed that first night by accident.

I barely knew him. I thought it was his sister’s bed—her room. It took seconds to realize my error, and I should've left...
I didn’t. I didn’t jump out. I didn’t get embarrassed.
I relaxed.
And that night, in that moment, it was the only thing I craved.

I asked to stay. He let me, and I slept.

The truth? I never wanted to leave his bed. If I could've stayed forever, I would have.
He became my sanctuary.

Because—four hours earlier—my twin sister killed herself.

Opinião:
Esta é uma autora que descobri o ano passado e que daquilo que li fiquei bastante agradada. Esta história é um bocado estranha na medida em que tem alguns momentos em que não percebemos muito bem se aquilo que a Mac vive é realidade ou não, e outros momentos em que a Mac tem a cabeça de tal forma feita num oito que acabamos por ficar confusos com as coisas que andam por ali a navegar.

Essencialmente a Mac é uma de duas gémeas e a única sobrevivente, visto que a sua irmã se suicidou recentemente. Para além de ter perdido metade de si, também foi Mac que descobriu a irmã morta, o que torna tudo muito pior. Enquanto os pais tratam das coisas, esta e o irmão acabam por ser despachadas para a casa dos patrões do pai, onde Mac inadvertidamente acaba por conhecer Ryan. Uma ligação forma-se entre ambos, talvez porque a um nível mais primordial Mac reconhece em Ryan a dor pela qual está a passar.

Aos poucos vamos conhecendo o passado de Ryan, passado esse que também não foi fácil, e que de certo modo é usado para exemplificar aquilo que Mac não deve fazer de modo a processar a sua dor. Existem alturas em que a Mac diz transformar-se numa pessoa completamente diferente, estar a perder-se na personalidade da sua irmã morta, e isso é algo assustador. A ideia que tenho é que ela acaba por assumir um compromisso entre a pessoa que foi e a pessoa em que se está a tornar de modo a defender-se e tomar conta de si quando a sua irmã já lá não está para desempenhar esse papel.

O caminho que a Mac percorre é longo, e há alturas em que passam grandes pedaços de tempo. Foi frustrante ver a sua família deteriorar-se, chegando a um ponto em que ela foi obrigada a tomar uma atitude e como consequência levando a que sarasse mais um pouco. Há várias alturas em que a Mac sente que as peças quebradas se vão encaixando. Eu percebo o que ela quer dizer, mas há alturas em que é fácil perceber o que ela quer dizer e há outras em que não consigo perceber como é que o que aconteceu contribuiu para que ela se sinta um pouco mais completa.

E o final? Aquele final deixou-me completamente abananada e estragou-me um pouco o livro. Por um lado tive que o ler duas vezes, porque depois daquela última frase queria ter a certeza que não tinha perdido nada e depois porque fiquei a sentir que a morte da Willow perdeu valor com a revelação final. Como se a morte dela tivesse servido de desculpa, como se a Willow se tivesse suicidado não porque estava infeliz, mas sim porque assim impedia outra tragédia.

Isso estragou-me um bocado o livro. Mas consigo abster-me disso e perceber que o livro parece ser bastante real naquilo que pretende representar. Que os personagens estão bem caracterizados e que a história é interessante. Não é um livro perfeito, mas é um livro que cumpre aquilo que promete e que entretém o leitor.

Sem comentários:

Enviar um comentário