quarta-feira, 2 de março de 2016

Opinião - P.S. Ainda Te Amo

Ficha Técnica:
Autor: Jenny Han
Título Original: P.S. I Still Love You
Série: A Todos os Rapazes que Amei, #2
Páginas: 272
Editor: Topseller
ISBN: 9789898800770
Tradutor: Leonilda Santana

Sinopse:
Lara Jean sempre teve uma vida amorosa muito atribulada, pelo menos na sua imaginação. Ela jamais imaginou que as cartas que escreveu a despedir-se dos rapazes por quem se apaixonou, mas a quem nunca teve coragem de confessar o seu amor, chegassem às mãos dos seus destinatários. E por causa disso meteu-se numa grande confusão. Para escapar à vergonha, começou um namoro a fingir com o Peter Kavinsky.
Lara nunca esperou apaixonar-se a sério pelo Peter. E por isso está mais confusa do que nunca.
Agora, ela terá de aprender a estar num relacionamento que, pela primeira vez, não é a fingir. Porém, quando um outro rapaz do seu passado reaparece na sua vida, Lara percebe que também nutre por ele sentimentos mais profundos. Será possível uma rapariga estar apaixonada por dois rapazes ao mesmo tempo?
Uma história dedicada e encantadora, que nos mostra que o amor não é fácil, mas que é por isso mesmo que é tão fascinante apaixonarmo-nos.

Opinião:
Desde que li o livro anterior desta duologia, A Todos os Rapazes que Amei, que andava com vontade de ler a sua continuação e saber qual o derradeiro desfecho. Por isso, assim que soube que ia sair por cá em inícios de Fevereiro, não resisti em insinuar o quão adequado seria como presente de dia de S. Valentim *cof, cof* (Sim, adivinharam, fui bem sucedida :p )

Ao pegar neste P.S. Ainda te Amo, contava desfrutar, tal como da outra vez, de uma leitura ligeira, descontraída, reconfortante e amorosa e, felizmente, não me enganei. Obtive tudo isso e ainda diversos momentos divertidos graças à Kitty, a irmã mais nova da protagonista, que é uma espevitada adorável, mas terrível.

Neste livro, continuamos a acompanhar Lara Jean, agora namorada a sério de Peter Kavinsky, e todas as atribulações deste seu primeiro relacionamento amoroso, que não foram poucas. Vemo-la crescer e amadurecer com o passar das páginas, tornar-se mais firme com as suas escolhas, mesmo que isso lhe custe e venha a trazer algum sofrimento. Gostei de a ver menos dependente e menos na sombra de outras pessoas, a ficar um pouco mais como a sua irmã mais velha, Margot, mas sem perder a sua essência.
Também notei uma certa evolução no Peter: percebeu que não pode tomar ninguém como garantido, ao contrário do que estava habituado. No entanto, apesar de gostar do rapaz e achar que esteve bem em boa parte da obra, conseguiu irritar-me em alguns momentos por ser tão tapadinho e frouxo. 
Ainda no que toca a personagens, há uma que para mim se destaca e que até já havia mencionado: a Kitty. Ela é sem dúvida a personagem que mais gosto do livro, com apenas dez anos e toda a sua inocência, é sensata, astuta e matreira. Uma miúda de pulso firme que dá animação e um pouco de brilho à história.

Achei interessante a forma como a autora (re)introduz John McClaren na narrativa, trazendo-lhe alguma relevância, apesar de por alguns momentos, com o avançar da história, a ter questionado. Foi um personagem que gostei, mas que me pareceu um pouco mal aproveitado dadas as circunstâncias.

Tal como esperava, P.S. Ainda te Amo, foi um livro que me agarrou, fácil de gostar e de ler, um livro amoroso, excelente para desanuviar e proporcionar bons e relaxados momentos de leitura. Um livro de conforto, que nos deixa enternecidas e quentinhas por dentro.











Opinião livro 1: A Todos os Rapazes que Amei

2 comentários:

  1. Tens mesmo que ler The Distance Between Us da Kasie West e a série Hundred Oaks da Miranda Kenneally (apesar de os primeiros livros serem fraquinhos os a seguir são bastante agradáveis) ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vou apontar hehe Para um dia mais tarde :)

      Eliminar